O varejo brasileiro e os impactos com a saída do Brasil na Copa

O varejo brasileiro e os impactos com a saída do Brasil na Copa

varejo

As vendas no varejo geralmente são aquecidas pelo espírito festivo de períodos como aqueles de Copa do Mundo.

E, apesar do Brasil ter retornado do mundial para casa adiando o sonho de ser hexacampeão, o setor do varejo tinha previsões otimistas.

A estimativa, de acordo com a Confederação Nacional do Comércio Bens, Serviços e Turismo (CNC), é que a Copa do mundo deveria movimentar R$ 1,5 bilhão no varejo brasileiro.

E a mesma instituição previu que haveria um aumento nominal de 7,9% nas vendas em relação a Copa que ocorreu no Brasil, em 2014.

O aumento das vendas estava previsto, sobretudo para os lojistas que vendem:

  • aparelhos eletrônicos
  • eletrodomésticos
  • artigos de vestuário – esportivos e também temáticos que dialogam com as cores que estampam a bandeira do Brasil.

E as famílias se mostravam otimistas.

De acordo com a mesma pesquisa da CNC, 24,0% das famílias brasileiras apresentaram a intenção de consumir itens relacionados ao Mundial de Futebol de 2018.

Copa do mundo e intenção de compra


Os brasileiros enxergam nesse tipo de torneio uma chance de se reunir mais, estar mais junto com amigos e familiares e, portanto, consumir mais.

E momentos assim otimizam as vendas, desde que haja algumas estratégias bem articuladas.

Entre elas está a abordagem, as oportunidades para os clientes (descontos, brindes, promoções), o carisma do vendedor e o comportamento.

Afinal, no varejo, a aproximação entre clientes e vendedores é mais intensa. O setor de varejo  inclusive apresenta crescimento positivo no Brasil.

Em 2018, por exemplo, apesar da paralisação dos caminhoneiros que atrasou a entrega de produtos por diferentes capitais do Brasil, o varejo apresentou alta de 3% de crescimento segundo o Índice Cielo do Varejo Ampliado (ICVA).

Importância do Varejo e comportamento do vendedor

Resultado de imagem para vendas copa do mundo

O varejo, além disso, é o responsável por uma área do comércio que vende diretamente para consumidores finais.

Ele inclui as vendas em supermercados, farmácias, concessionárias de veículos, lojas de vestuários, lojas de móveis, decoração, construção, postos de gasolina.

O vendedor é parte fundamental nessas frentes e seu posicionamento diante do cliente pode ser determinante para uma ótima conversão.

Entre as principais recomendações de comportamento ao vendedor quando se trata das vendas do varejo, estão:

  • Não incomodar o cliente com gritos ou obrigá-lo a entrar no estabelecimento
  • Não testar o cliente com adivinhações, mas sim tentar entender quais são as demandas dele e como pode ajudar
  • Não fazer piadas ou fazer comentários que desrespeitem o cliente ou estabeleçam um nível evasivo.

Além dessas, há recomendações, existem dicas sobre situações que não resultam exclusivamente em uma venda, com:

  • Nunca tratar mal um cliente só por ele estar indo trocar um produto
  • Nunca ficar conversando com outro vendedor, enquanto seu cliente faz alguma pergunta
  • Nunca negar seu cartão ao cliente, mesmo depois dele ter oucpado certo tempo no seu atendimento, esteja sempre à disposição.

Ponto de virada

Mas quando o Brasil saiu da Copa, o motor das vendas teve uma desaceleração.
Segundo dados do Indice Cielo do Varejo Ampliado (ICVA), elaborado pela Cielo no dia que o Brasil perdeu para Bélgica, uma sexta feira, o varejo vendeu 17% a menos.
Além disso, segundo essa avaliação da Cielo o setor de vestuário foi o que teve maior queda no dia, com diminuição de 43,1% das vendas.
O setor de móveis, eletrodomésticos que a principio tinham grande favoritismo tiveram redução de 34%.
Já os setores que apresentaram resultado melhor do que em uma sexta-feira comum, destacam-se
  •  supermercados fecharam o dia com crescimento de 6,2% em relação a uma sexta-feira sem jogos.
  • em bares o aumento foi de 35,6% em vendas no dia. Mas o setor de alimentação em geral registrou queda de 14,9%.
  • o setor de padarias teve aumento de 9,4% em vendas em relação a uma sexta feira também sem jogos.

O que fazer com o que fica parado nas prateleiras?

Imagem relacionada

No caso de produtos temáticos da copa do mundo, muitos lojistas escolhem o estoque como opção ao acúmulo de produtos.

Os produtos que ainda permanecem expostos são ofertados por um preço um pouco mais baixo do que nos dias que o Brasil tinha horário marcado para entrar em campo.

Quando for necessário fazer alguma oferta, uma dica é vender a peça parada com um desconto. Caso o cliente leve algum outro produto que não faça parte da promoção.

E que de preferência seja aquele produto que você, vendedor/gestor, deseja retirar do estoque.

Outra possibilidade é direcionar os produtos para os potenciais clientes que tem grandes chances de se interessar pelo que você está vendendo.

Oferte para um público alvo que você sabe que se interessará de alguma maneira pelo que está parado nas prateleiras, apresente a quantidade, exponha e sempre apresente as vantagens de consumir com você.

Não deu dessa vez para articular suas vendas com uma vitória do Brasil, mas lembre-se que a próxima oportunidade para seleção virá daqui a 4 anos.

A sua chance de arrebentar nas vendas se faz diariamente.

Aproveite e deixe nos comentários como foi sua experiência com as vendas durante a Copa do Mundo e não se esqueça de deixar sua aposta:

Qual seleção leva a taça para casa?

 

Imagens:

Reprodução

Pixabay

Leia Mais