Comércio e vendas: 5 motivos para comemorar a Semana do Comerciante

Comércio e vendas: 5 motivos para comemorar a Semana do Comerciante

comércio

O comércio é um setor importante para a economia do país.

Ele é um dos setores de maior geração e distribuição de renda seja por meio de lojas, empresas, turismo, lazer, educação, atividades autônomas, entre outras.

Nesta semana, comemorou-se, em 16 de julho, o Dia do Comerciante e, apesar, de muitos estabelecimentos não lembrarem da data, há motivos para comemoração.

Comércio Brasileiro

Isso porque, o setor de comércio no Brasil é muito dinâmico e se sai bem, inclusive, em momentos mais tempestuosos.

De acordo com informações do Fecomercio, o comércio é um dos setores que menos sofre em períodos de crise econômica:

porque o consumidor consegue ter um jogo de cintura capaz de substituir os produtos de primeira linha por outros mais em conta. Veja mais aqui.

Além disso, outro dado interessante é que quando o assunto é comércio atacadista, este, por sua vez, fica responsável por:

53,6% da movimentação do setor mercearil.

Isso significa que mais da metade do setor composto por itens de consumo básico como alimentos, bebidas, limpeza, higiene e cuidados pessoais é de alcance do comércio.

Comércio e vendas: aliança que dá certo

Se expandirmos para uma análise sobre o comércio online também temos dados interessantes, inclusive para pequenos comerciantes.

Segundo dados divulgados pela Unidade de Gestão Estratégica do Sebrae Nacional, “os pequenos negócios representam 75% de todas as lojas virtuais do Brasil.

Entre as empresas de e-commerce puro (sem loja física), os pequenos negócios representam 90% desse mercado”.

De acordo ainda com a instituição vinculada ao Sebrae, no ano de  2016, mais da metade dos negócios

  • operava com lucro (51%)
  • 28% sem prejuízo ou lucro
  • 21% com prejuízo.

E lucro tem a ver com vendas.

Confira, a seguir, 5 motivos recentes que mostram que vendas e comércio andam juntos e rumam para cenários mais otimistas:

1. Varejo paulista

Resultado de imagem para mercado

Segundo a Associação Comercial de São Paulo (ACSP), as vendas do varejo na capital paulista registraram alta de 2,8% na primeira quinzena de julho de 2018.

Isso quando comparadas ao mesmo período de 2017.

2) Exportações

Resultado de imagem para laranja exportacao

De acordo com dados da Secex (Secretaria de Comércio Exterior) o Brasil bateu recorde de venda de suco de laranja no mercado internacional.

Foram 1,15 milhão de toneladas de suco da laranja vendidos lá fora.

Um grande comprador é o Estados Unidos.

3) Vendas de carros

Resultado de imagem para carros pcd

No primeiro semestre de 2018, houve um recorde de vendas de carros para pessoas com deficiência.

Segundo a Associação Brasileira da Indústria, Comércio e Serviços de Tecnologia Assistiva (Abridef) foram:

187 mil automóveis foram vendidos.

Este dado representa quase o total de vendas do ano de 2017.

4) Minério de ferro

comércio

A empresa Vale divulgou que bateu recordes de vendas no segundo trimestre de 2018 ao vender 73,29 milhões de toneladas de minério de ferro e pelotas.

Em tempos de recuperação o comércio e as vendas são grandes aliados da retomada econômica positiva.

Você também trabalha com vendas neste setor?

Conta para gente suas impressões a respeito do seu trabalho com comércio e vendas.

Deixa aqui embaixo que vamos adorar saber sobre o que você tem a dizer.

Abraço,

Sucesso e ótimas vendas!

 

Imagens:

Pixabay

Reprodução

Leia Mais

O varejo brasileiro e os impactos com a saída do Brasil na Copa

varejo

As vendas no varejo geralmente são aquecidas pelo espírito festivo de períodos como aqueles de Copa do Mundo.

E, apesar do Brasil ter retornado do mundial para casa adiando o sonho de ser hexacampeão, o setor do varejo tinha previsões otimistas.

A estimativa, de acordo com a Confederação Nacional do Comércio Bens, Serviços e Turismo (CNC), é que a Copa do mundo deveria movimentar R$ 1,5 bilhão no varejo brasileiro.

E a mesma instituição previu que haveria um aumento nominal de 7,9% nas vendas em relação a Copa que ocorreu no Brasil, em 2014.

O aumento das vendas estava previsto, sobretudo para os lojistas que vendem:

  • aparelhos eletrônicos
  • eletrodomésticos
  • artigos de vestuário – esportivos e também temáticos que dialogam com as cores que estampam a bandeira do Brasil.

E as famílias se mostravam otimistas.

De acordo com a mesma pesquisa da CNC, 24,0% das famílias brasileiras apresentaram a intenção de consumir itens relacionados ao Mundial de Futebol de 2018.

Copa do mundo e intenção de compra


Os brasileiros enxergam nesse tipo de torneio uma chance de se reunir mais, estar mais junto com amigos e familiares e, portanto, consumir mais.

E momentos assim otimizam as vendas, desde que haja algumas estratégias bem articuladas.

Entre elas está a abordagem, as oportunidades para os clientes (descontos, brindes, promoções), o carisma do vendedor e o comportamento.

Afinal, no varejo, a aproximação entre clientes e vendedores é mais intensa. O setor de varejo  inclusive apresenta crescimento positivo no Brasil.

Em 2018, por exemplo, apesar da paralisação dos caminhoneiros que atrasou a entrega de produtos por diferentes capitais do Brasil, o varejo apresentou alta de 3% de crescimento segundo o Índice Cielo do Varejo Ampliado (ICVA).

Importância do Varejo e comportamento do vendedor

Resultado de imagem para vendas copa do mundo

O varejo, além disso, é o responsável por uma área do comércio que vende diretamente para consumidores finais.

Ele inclui as vendas em supermercados, farmácias, concessionárias de veículos, lojas de vestuários, lojas de móveis, decoração, construção, postos de gasolina.

O vendedor é parte fundamental nessas frentes e seu posicionamento diante do cliente pode ser determinante para uma ótima conversão.

Entre as principais recomendações de comportamento ao vendedor quando se trata das vendas do varejo, estão:

  • Não incomodar o cliente com gritos ou obrigá-lo a entrar no estabelecimento
  • Não testar o cliente com adivinhações, mas sim tentar entender quais são as demandas dele e como pode ajudar
  • Não fazer piadas ou fazer comentários que desrespeitem o cliente ou estabeleçam um nível evasivo.

Além dessas, há recomendações, existem dicas sobre situações que não resultam exclusivamente em uma venda, com:

  • Nunca tratar mal um cliente só por ele estar indo trocar um produto
  • Nunca ficar conversando com outro vendedor, enquanto seu cliente faz alguma pergunta
  • Nunca negar seu cartão ao cliente, mesmo depois dele ter oucpado certo tempo no seu atendimento, esteja sempre à disposição.

Ponto de virada

Mas quando o Brasil saiu da Copa, o motor das vendas teve uma desaceleração.
Segundo dados do Indice Cielo do Varejo Ampliado (ICVA), elaborado pela Cielo no dia que o Brasil perdeu para Bélgica, uma sexta feira, o varejo vendeu 17% a menos.
Além disso, segundo essa avaliação da Cielo o setor de vestuário foi o que teve maior queda no dia, com diminuição de 43,1% das vendas.
O setor de móveis, eletrodomésticos que a principio tinham grande favoritismo tiveram redução de 34%.
Já os setores que apresentaram resultado melhor do que em uma sexta-feira comum, destacam-se
  •  supermercados fecharam o dia com crescimento de 6,2% em relação a uma sexta-feira sem jogos.
  • em bares o aumento foi de 35,6% em vendas no dia. Mas o setor de alimentação em geral registrou queda de 14,9%.
  • o setor de padarias teve aumento de 9,4% em vendas em relação a uma sexta feira também sem jogos.

O que fazer com o que fica parado nas prateleiras?

Imagem relacionada

No caso de produtos temáticos da copa do mundo, muitos lojistas escolhem o estoque como opção ao acúmulo de produtos.

Os produtos que ainda permanecem expostos são ofertados por um preço um pouco mais baixo do que nos dias que o Brasil tinha horário marcado para entrar em campo.

Quando for necessário fazer alguma oferta, uma dica é vender a peça parada com um desconto. Caso o cliente leve algum outro produto que não faça parte da promoção.

E que de preferência seja aquele produto que você, vendedor/gestor, deseja retirar do estoque.

Outra possibilidade é direcionar os produtos para os potenciais clientes que tem grandes chances de se interessar pelo que você está vendendo.

Oferte para um público alvo que você sabe que se interessará de alguma maneira pelo que está parado nas prateleiras, apresente a quantidade, exponha e sempre apresente as vantagens de consumir com você.

Não deu dessa vez para articular suas vendas com uma vitória do Brasil, mas lembre-se que a próxima oportunidade para seleção virá daqui a 4 anos.

A sua chance de arrebentar nas vendas se faz diariamente.

Aproveite e deixe nos comentários como foi sua experiência com as vendas durante a Copa do Mundo e não se esqueça de deixar sua aposta:

Qual seleção leva a taça para casa?

 

Imagens:

Reprodução

Pixabay

Leia Mais

Como vender mais no Dia dos Namorados: 3 situações de vendas imperdíveis 

Dia dos Namorados

O Dia dos Namorados chegou não apenas para aquecer os corações apaixonados e estreitar laços afetivos.

A data também desembarca com tudo para fazer subir a temperatura do termômetro das vendas e unir as escolhas dos milhares de casais in love com o seu propósito, vendedor, de vender mais.

O dia 12 de junho tem uma representatividade importante para o universo das vendas nacionais. Olha só:

  1. Comemoramos o dia dos namorados no Brasil desde 1949, período de mais abertura do mercado brasileiro. A data, segundo informações divulgadas pelo jornal Folha de São Paulo foi inventado por uma agência que pretendia reverter a queda das vendas no meio do ano. Um dos idealizadores foi João Agripino Dória.
  2.  Uma pesquisa sobre hábitos de consumo dos brasileiros feito pelo Tiendeo, apresentou que 79% dos respondentes da pesquisa vai comemorar a data junto com a pessoa amada.O presente que os entrevistados tanto pretendem ganhar como receber é um jantar romântico.
  3. Em 2017, de acordo com informações da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) divulgadas no do portal  do Governo Federal, a previsão foi de que o brasileiro movimentaria R$1,65 bilhões na economia só nesta data.
  1. Segunda pesquisa do Ibope Conecta a pedido do Mercado Livre, os respondentes comentaram que  entre os presentes preferidos estão smartphones e artigos de moda como roupas, calçados, bolsas e outros acessórios).

Resultado de imagem para dia dos namorados objeçoes

Mas apesar dessa expressividade toda para o mercado brasileiro, não é todo vendedor que lida bem com as situações deste 12 de junho.

Pelo contrário.

Muitos vendedores ficam tão nervosos ou ficam focados apenas em cumprir e bater determinadas metas que não priorizam o contorno de objeções durante as vendas dessa época.

O resultado?

A empolgação seguida de uma incomoda frustração.

É assim mesmo que muitos vendedores se sentem:

empolgados antecipadamente – convencidos pelas campanhas publicitárias e propagandas de que a data será um sucesso, mas muitos não conseguem chegar ao menos na metade da meta que lhes foi transferida.

E parte desse impasse surge porque algumas situações *não são compreendidas e esclarecidas pelo vendedor, justamente por que ele não consegue:

  1. Qualificar o que é e o que não é uma objeção;
  2. Contornar corretamente a objeção qualificada;
  3. Eliminar essa objeção usando uma técnica de argumentação + técnica de encaminhamento para o fechamento da venda.

Objeção em Vendas

A objeção no processo de vendas, nada mais é do que uma forma do cliente te dizer NÃO sem ser direto.

Isso acontece porque:

  • não gostou do seu atendimento
  • não gostou do seu produto
  • não se sentiu confortável
  • não sentiu confiança da sua parte
  • não tem dinheiro e não tem medo de se sentir rejeitado caso diga que não tem dinheiro para comprar.

Por isso, quando receber uma objeção, procure enxergá-la como uma oportunidade de melhorar o seu processo de vendas e atendimento.

Ao invés de pensar: “Mais um caroço que não quer comprar nada”, pense:

“Por qual razão ele está me dizendo isso?”.

Ou seja, quando ouvir uma objeção, seu principal objetivo é perguntar, ouvir e entender seu cliente.

Acompanhe TRÊS SITUAÇÕES desse dia dos namorados que com certeza vai surgir por aí. Confira:

1- “Não tenho muito dinheiro para gastar no Dia dos Namorados”

O cliente entra na loja, descreve o produto desejado.

Fica feliz com seu atendimento, animado, ama o produto, mas na hora de olhar o preço tudo muda.

Logo ele lança um: “não tenho muito dinheiro para gastar neste momento”.

Nesta situação, você deve devolver essa afirmação com uma pergunta para o cliente, afinal, ele já está decidido a dar um presente.

Então, você sabe que o primeiro objetivo dele é comprar um.

Lembra de perguntar, ouvir e entender seu cliente?

Devolva com uma pergunta sutil, ajustando seu tom de voz e expressão corporal ao dele, para poder entender seu motivo:

– É mesmo, Seu Carlos? E o Sr veio aqui hoje pretendendo investir até quanto neste presente?

2- Perguntas diretas, saída perfeita

Aqui você já faz uma pergunta direta para qualificar o potencial de compra deste cliente.

Pois se ele disser um valor muito baixo para a realidade do que você vende, você não precisará investir tanto tempo nele.

Se estiver um pouco abaixo, você tem condição de reverter, e se estiver dentro, nem preciso dizer, correto?

Assim que ele responder, diga algo parecido com isso:

Show de bola, Seu Carlos! Fique tranquilo, das últimas 10 pessoas que eu conversei hoje, 9 me disseram a mesma coisa que o senhor.

Não se preocupe, pois nós vamos encontrar o presente perfeito para a sua namorada juntos.

Deixa eu só tirar algumas dúvidas bem simples para poder te ajudar da melhor forma possível:

Esse comentário tem como objetivo deixá-lo confortável com a situação de ter um valor específico para investir.

Mesmo que esteja mentindo para você.

Também tem como objetivo aproximar você e ele, trazê-lo para o seu lado, fazer ele perceber que você não quer somente vender, mas ajudá-lo a encontrar o presente para a pessoa que ele ama, sacou?

Levantamento de necessidades

Resultado de imagem para dia dos namorados presentes

Agora entra o momento de usar o que você levantou de informações no momento em que fez o levantamento das necessidades dele.

Onde ele disse o que buscava, como era, para quem era.

Você formulará o que vai dizer, seguindo a lógica dessa linha de raciocínio, veja:

Seu Carlos, só para gente se alinhar, como o senhor me disse, esse presente é para a [nome da pessoa], sua [namorada, noiva, esposa, ficante, etc – o grau de relacionamento afetivo da pessoa], e está buscando esse presente assim por que ela gosta de [citar o que ele disse que ela gosta, cor, desenho, detalhe, etc], com valor de investimento até [o valor que ele disse que consegue pagar] e que com certeza ela vai amar quando você entregar! É isso mesmo?

(O Seu Carlos vai confirmar, e confirmando, você engata outro comentário seguido de pergunta)

– Perfeito, Seu Carlos, que bom que a gente está tão bem alinhado assim. Então, veja só, PENSANDO NISSO, dá uma olhada neste aqui. Ele tem [Você vai ter pego um produto com as características próximas a que ele disse que a pessoa que vai ganhar tem, então vai apresentar as características do produto], que são exatamente as que a [nome da pessoa] gosta, e isso significa que [enfatizar todos os benefícios, vantagens e o quanto ela vai amar ganhar aquele presente], e ainda por cima, o valor de investimento é apenas [apresentar o preço, e se fugir do que ele pretende investir, ridicularizá-lo, da seguinte forma, por exemplo], e a diferença é tão pequena, mas tão pequena, que se você dividir até o próximo ano, dá só R$ 0,04 por dia, e vamos falar a verdade, o sorriso no rosto da [nome da pessoa], não tem preço, né, Seu Carlos!

(Nessa fala acima você gerou concordância, trouxe ele para ainda mais perto de você, apresentou o produto, mostrou as características, ancorou elas no que ele comentou que buscava para a pessoa, mostrou as vantagens e os benefícios de comprar, ou seja, agregou valor na apresentação, e apresentou o preço por último, ainda sabendo como ridicularizar, caso passasse um pouco do que o cliente comentou)

Fechamento

Resultado de imagem para aperto de maos

Feito isso, é só ver se ficaram dúvidas e encaminhar para o fechamento:

– Seu Carlos, o senhor tem alguma dúvida em especial? Fez sentido para o senhor?

– Maravilha, e o Sr prefere pagar no dinheiro ou no cartão?

Ele pode parar para pensar ou pode dizer logo de cara, se dizer, só dê continuidade, conclua e repasse com ele, e ao final, ao entregar o produto nas mãos dele, diga:

Seu Carlos, parabéns pelo investimento! Com certeza a [nome da pessoa] vai amar, o senhor fez a melhor escolha possível!

Se ele parar para pensar e não responder, diga:

Seu Carlos, ficou alguma dúvida? É algo relacionado ao presente, ao preço? Como eu posso te ajudar? (Pergunte, ouça e entenda)

Perguntando, ouvindo e entendendo, você será capaz de contornar qualquer tipo de objeção que seu cliente der.

Mesmo que no final ele não feche contigo (lembre-se que você não é obrigado a vender para todo mundo, mas é obrigado a esgotar todas as possibilidades de encontrar caminhos para convencê-lo a comprar).

Para cada objeção que ouvir, siga a linha de raciocínio que eu te apresentei aqui, e contextualize seus argumentos em cima dessa base, ok?

Aproveitando que o amor está no ar,  não se esqueça de compartilhar este texto com seus amigos vendedores.

Sucesso e ótimas vendas!

Leia Mais

Copa do mundo: uma partida decisiva entre futebol e vendas

Copa do Mundo

A copa do mundo não vai ser no Brasil desta vez.

Mas as suas vendas serão.

A pouco menos de 10 dias do maior torneio de futebol mundial não são em todos os lugares que realmente encontramos pessoas animadas com a copa.

Segundo pesquisa DataFolha de 2018, realizada de 29 a 30 de janeiro de 2018, as pessoas têm perdido interesse pelo futebol.

41% das entrevistadas segundo relatório se declararam totalmente desinteressadas.

Quando analisadas por faixa etária, 35% dos jovens entre 14 e 24 anos não tem interesse também pelo esporte.

O Datafolha entrevistou 2.826 pessoas em 174 municípios.

Outra pesquisa de opinião feita pelo Instituto Paraná Pesquisas, no mês de abril de 2018, mostrou que 65% dos entrevistados não mostrava interesse pela Copa do Mundo especificamente no período de abril.

Nessa pesquisa foram entrevistados  2.948 brasileiros em 185 municípios das 27 unidades da federação entre os dias 24 e 25 de abril.

E os resultados foram os seguintes:

28,3% disseram não estar nada interessados no mundial

37,5% disseram ter pouco interesse

A soma de desinteressado

s atinge 65,8%.

Como, então, vender mais em tempos em que o interesse por futebol e pela copa vem perdendo o protagonismo de anos atrás?

Desinteresse na Copa do Mundo, desafios nas vendas

copa do mundo

créditos: pixabay

Podemos apontar alguns possíveis motivos para o aumento de desinteresse?

Além do 7×1 que fez muitas pessoas chorarem na arquibancada há 4 anos, vendo a goleada em cima do Brasil, nos últimos anos não tem sido fácil.

  1. Tivemos uma crise econômica que destruiu setores, quebrou empresas e demitiu uma massa de funcionários como há muito tempo tempo não se via
  2. Na política, um impeachment e o julgamento de um dos maiores escândalos de corrupção do país veio à tona
  3. O Brasil caiu 17 posições no índice calculado pela ONU que mede corrupção do setor público, o IPC.
  4. O investimento estrangeiro no país caiu mais de 50% em abril quando comparado com o mesmo período em 2017.
  5. Ex-líderes políticos em que o povo já confiou fielmente foram acusados, culpados e presos.
  6. Greves estouraram pelo país, a mais recente, a Greve dos Caminhoneiros parou cidades por dias, ao travar o abastecimento alimentício e de combustível.

Sendo assim será que há espaço para motivar pessoas pelo espírito da copa e vender mais nas vésperas da seleção de Tite entrar em campo?

Vendas na Copa do Mundo, o drible:

Diante disso tudo, o que não dá é ficar parado.

É hora do drible.

Lembrando que driblar não significa apagar os problemas que invadem constantemente o nosso dia a dia.

Mas quero que saiba, vendedor, que há formas de otimizar as vendas apesar dos índices apontaram para um enfraquecimento do espírito motivador do torneio.

Olha só com quem você vai poder contar:

1. Posicionamento

Imagem relacionada

Esse é o momento de você se posicionar no seu negócio, junto com os seus vendedores.

Você acha que seu público não é muito engajado com a Copa do Mundo?

Invista em campanhas que os interessem mais que aquelas verde e amarelas. Sai do mesmo.

Agora se você acha que o seus clientes vão se identificar realmente com o período, esteja com ele.

Faça:

  • intervenções pré jogos como bonificações por tempo limitado, bônus exclusivos para os dias de jogos
  • promova produtos e serviços que você gostaria de destacar nessa época.
  • aproveite as falhas para se diferenciar na sua propaganda: “se já tivemos um 7×1, chegou a hora de suas vendas serem 7×1 em cima da concorrência”

Tenha um posicionamento diante do seu público, afinal, é com ele seu MAIOR compromisso.

2. Comércio

Resultado de imagem para comercio copa

Não desanime.

As vendas de adereços verde e amarelo estão tímidas, mas isso não significa que com o seu comércio isso será assim.

Além do mais, o comércio é o maior beneficiado pelos jogos da copa.

Bares, restaurantes recebem brasileiros e turistas para assistir aos jogos, com 90 minutos por cliente, há boas chances do consumo decolar.

Como as pessoas se reúnem mais, tendem a consumir mais, afinal, as reuniões entre amigos pedem um consumo mais largo e à vontade.

3. Internet

Imagem relacionada

Na copa de 2014, houve 280 milhões de espectadores assistindo aos jogos pela internet.

Você tem um e-commerce?

É uma boa chance de investir em anúncios e prospectar ainda mais, afinal, o público está sintonizado com as notícias e novidades online.

Esteja você também conectado e mantenha suas redes atualizadas.

Se investir na criação de conteúdo sobre os jogos ou sobre as curiosidades que surgem durante o torneio, diferencie-se com agilidade no conteúdo.

Expresse a opinião da sua marca ou empresa e deixe seus clientes por dentro de informações claras e transparentes a respeito do que você vende de verdade.

Toda boa venda, tem uma história.

Então, mesmo que você vendedor não esteja plenamente empolgado com o futebol – assim como as pesquisas apontaram – lembre-se que toda copa tem seu diferencial.

E que pode ser uma boa oportunidade para você fazer história com suas vendas também.

Fala aqui para gente como você tem se preparado para este período e como está a sua empolgação, vendedor.

O que fará de diferente este ano?

Sucesso e ótimas vendas,

 

 

 

Fonte: Pesquisa DataFolha e Instituto Paraná Pesquisas (links no texto) 

Imagem abre: Getty Images

Imagens corpo do texto: Reprodução 

Leia Mais

O que o Mustang tem a ver com suas pesquisas em Vendas

mustang

Ele é o Mustang. Motor V8 5.0, potência de 466cv, câmbio de 10 marchas, automático com um porta malas de 382l.

Você gostaria de ter um carro desse?

Enquanto você pensa na resposta, a Ford saiu na frente e decidiu, na verdade, continuar com a produção desse carro favorito das pistas.

Mas outros modelos de passeio não tiveram a mesma sorte, sabia?

A Ford anunciou que vai parar a produção nos Estados Unidos dos modelos de passeio: Fiesta, Taurus, Focus e do Fusion.

Apesar de não divulgar ainda a previsão em que as máquinas pararão de fabricar esses outros carros, a empresa tomou essa decisão.

Serão fabricados apenas Mustang e o Focus Active em solo americano.

Além disso, até 2020, estima-se que:

 90% da linha de fabricação da Ford será formada por picapes e os chamados Sport Utility Vehicle, os Suvs, carros esportivos.

De acordo com o site Quatro Rodas, o motivo da mudança que elimina da linha de fabricação dos veículos de passeio, seria nada mais nada menos que o PREJUÍZO

Estratégia de mercado: Mustang fica

Informações divulgadas no site do The new York Times, apontam que a Ford perdia dinheiro com o Fiesta, o Focus e o Fusion Sedan.

Somado a isso, os carros de passeios no Estados Unidos não tinham boa saída.

O jornal ainda divulgou que, em 2012, era 51% de participação de carros de passeio no mercado americano, em 2017, esse número caiu para para 37%.

Resultado de imagem para ford focus

Essa ação da Ford  ilustra bem uma estratégia de mercado, que sem dó, quer ir ao encontro do que vende mais.

E não do que dá prejuízo.

No mercado brasileiro, segundo dados da Fenabrave, de 2016 para 2017 o mercado automotivo cresceu:

de 9,36% para 9,94% nas vendas de automóveis de passeio.

O que revela que para um mercado que se dinamiza, estratégias de vendas assim como Ford teve lá nos Estados Unidos são importantes.

O que ninguém te contou

Resultado de imagem para ford

São muitas dicas recorrentes sobre o momento de agir drasticamente e tirar um determinado produto ou serviço do mercado.

Assim como a Ford foi firme na decisão de tirar da fabricação carros que a acompanharam a anos e manter o Mustang, você também pode ser firme quando o assunto é tirar o seu produto ou serviço de circulação.

Mas entre as muitas recomendações, hoje eu deixo uma delas para você, vendedor: invista em pesquisas.

As pesquisas de vendas são importantes para te apontar direções no seu segmento de mercado.

Ainda mais se ele apresentar prejuízos.

Por isso, duas dicas:

1. Não ignore pesquisas em números.

Esteja sempre atento às novidades não só das metas da sua empresa, mas também aos alcances do setor e do mercado.

O que mudou nos últimos 5 anos no seu setor?

Você sabe responder?

2. Fique de olho no panorama do ano seguinte antes de tirar seu produto ou serviço de circulação ou produção.

Contrate ou compre pesquisas sobre o seu segmento.

E não ignore as tendências que dizem muito sobre como você pode agir, sem perder muito dinheiro, no seu setor produtivo.

Tem alguma história para contar sobre o momento que precisou deixar de vender um produto ou serviço?

Deixe nos comentários, quem sabe posso te ajudar!

Abraço, Sucesso

Ótimas vendas

 

Imagens: Reprdoução

 

Leia Mais

Dia das mães: 4 interesses de compra das mães que não te contaram

Dia das Mães

O Dias das mães se aproxima e esta última semana pré-data é a semana, em especial, que as vendas se intensificam.

Quem se lembra da Dona Herminia no filme “Minha mãe é uma peça” sabe que ser mãe surpreende por demandar tantas tarefas e preocupações.

Mas sabe também que é impossível não querer celebrar a data e marcá-la com algum presente.

Por isso, prepare-se para a chuva de vendedores tentando APENAS vender mais, faturar melhor e dar desconto.

Essas são formas de atuar no mundo das vendas que não são menos importantes.

Mas o que eu venho te falar hoje, vendedor, é que em datas como essa – tão representativas – o que tem que estar em evidência na sua performance é o seu DIFERENCIAL.

E esse diferencial pode ser embasado por uma motivação. No caso dos dias das mães, você precisa se destacar motivado pelo que é tendência nas vendas nessa época.

Não adianta querer vender mais se você não conhecer o que busca o público que tem chegado até você para comprar.

E isso cobra mais conhecimento a respeito do perfil do público dessa data: as mães.

Mas antes de te dizer no que esse público está interessado, quer ver só como o dia das mães tem peso no mercado das vendas?

Dias das mães: data líder

O dia das Mães, segundo levantamento da NeoAssist é uma data de faturamento representativo assim como a Black Friday e o Natal.

Mas você deve estar ligado que essas duas ultimas acontecem só no fim do ano.

Logo, o Dia Das Mães, entre as três, é a comemoração mais enfática dos seis primeiros meses do ano.

E não para por aí não:

De acordo com a pesquisa realizada pela GhFly com o Facebook e publicada pela NeoAssist (com foco nas vendas online), o dia das Mães gera um faturamento para o e-commerce brasileiro de 2,6 bilhões.

Dados da consultoria Serasa Experian de maio de 2017 apontaram também no estudo que São Paulo foi a cidade que registrou o maior número de vendas para a data.

Outro dado interessante é que entre as mães entrevistadas, 89% afirmaram usar o Facebook e estarem no meio online para compartilhar dados do cotidiano, promover o seu trabalho e encontrar produtos para comprar online.

Em média, 25% das mães latinas se envolvem com marcas online e são mais ativas nas plataformas de mídias.

Que produtos, então, estão entre os queridinhos das mães?

4 áreas de interesses das mães na internet

De acordo com a pesquisa da GhFly e do Facebook, o que mais interessa às mães na internet são:

  1.  Cuidado com os filhos
  2.  Beleza
  3.  Moda
  4.  Alimentação

E quer saber qual é o primeiro motivo para elas finalizarem uma compra?

O frete grátis!

Em segundo lugar, surge o processo de compra rápido.

40% das mães querem economizar tempo na hora de fazer uma compra.

Se você tem um negócio online que atende de alguma maneira as 4 grandes áreas de interesse de compra das mães, olha só:

Separei 4 SUPER DICAS  para você fugir das dicas clichês e aumentar seu conhecimento sobre o público:

Lembre-se: quem faz as compras são familiares e pessoas próximas, mas o público final, são as MÃES!

1- Invista em vídeos nas suas campanhas

Se você realiza grande parte das suas vendas no meio online por meio de um e-commerce faça vídeos.

Ainda mais se possui redes que te conectam com os clientes como o Facebook e o Instagram.

Não deixe de promover vídeos nesta semana pré-data.

50% das mães segundo pesquisa divulgada pela NeoAssist, adoram ver vídeos no Facebook.

Alcançá-las com o que você vende é uma forma delas popularizarem os seus produtos para familiares e amigos que podem converter a simpatia delas em Vendas.

2- Presenteie com brindes das 4 áreas de interesse

Se sua empresa não trabalha com nenhum produto que dialogue com o público mães, a dica é investir em brindes que sejam de uma das 4 áreas de interesse delas.

Procure presentear seus clientes com serviços que conversem com a área de cuidado aos filhos.

Ou forneça algum produto de beleza, moda e alimentação.

3- Anuncie seus produtos

Faça anúncios do que você vende.

40% dos brasileiros descobrem produtos depois de serem impactados por anúncios online.

Muitos descobrem produtos e até marcas a partir dos anúncios sugeridos.

4- Promova descontos

Nas compras online, um dos principais motivos para realizar compra são os descontos.

Inclusive são eles que fazem a popularidade das vendas online.

Por isso, ajuste o orçamento, veja se realmente há condições de promover promoções.

Lembre-se que o desconto não pode vir simplesmente porque é comum que a data (o Dia das Mães) traga desconto.

Precifique considerando porcentagens que vão fazer o cliente se interessar.

O seu diferencial, vendedor, é motivado pelo contexto, mas não se esqueça que conhecer o público e as preferências dele vem antes de bater suas metas e sair correndo em busca de conversões.

Pense nisso!

Sucesso e ótimas vendas

Leia Mais

Vingadores: Guerra Infinita, qual a importância da pré-venda?

Se você aproveitou o feriadão para assistir Vingadores: Guerra Infinita toca aqui vendedor, porque você não foi o único.

Mas se você reservou esta oportunidade para o próximo final de semana, relaxa que no texto do blog de hoje não vão ter spoilers.

Apenas (to torcendo para que seu herói favorito continue vivo).

Na verdade, além do enredo incrível que os irmãos Russo trataram de arquitetar, tem uma coisa para além das telas que surpreendeu:

o recorde de vendas do filme na pré-venda brasileira.

Na pré-venda de Vingadores: Guerra Infinita, segundo informações do site Ingresso.com, nas primeiras 12 horas, o filme superou a pré-venda de Star Wars: O Despertar da Força em 25%.

O filme de super heróis desbancou o filme do jedi Luke Skywalker que estava no topo desde 2015.

E não para por aí.

Além disso, a venda de ingressos de Vingadores superou a venda de:

  • Pantera Negra
  • Thor: Ragnarok
  • Homem-Aranha: De Volta ao Lar
  • Guardiões da Galáxia 2
  • Doutor Estranho
  • Capitão América: Guerra Civil
  • Homem-Formiga

Juntos, claro.

Por isso, tem uma pergunta que fica no ar: investir em uma pré-venda, funciona?

Imagem relacionada

Pré-venda: entenda tudo sobre ela

Uma pré-venda é o momento em que o cliente terá o primeiro contato com o que você vende, e, claro se beneficiará dele de alguma maneira.

É um momento importante, principalmente, para já conhecer como o seu público reagirá ao que você está promovendo.

Além disso, é nesta etapa que você pode fidelizar clientes, mostrar o seu diferencial no mercado e aplicar todos os seus super poderes na conversão em vendas.

Escolher a pré-venda já é admitir que ela não acontece por acaso e que para concretizá-la é preciso um processo que envolve:

personalização e exclusividade, além da veiculação de um conceito que só aqueles inseridos na pré-venda poderão usufruir.

Esse conceito pode ser:

um desconto

um brinde

um bônus (além disso, leva isso)

Por isso, separei 3 DICAS para o seu time de vendas que está se preparando para iniciar uma pré-venda…

…e que não quer ter nenhuma baixa na equipe na hora de partir para o campo de batalha. Vem ver só:

Qualifique as necessidades dos clientes

Imagem relacionada

Entender o que seu cliente precisa é o primeiro passo para ter sucesso em uma pré-venda.

Questione-se: o que fará meu cliente se sentir exclusivo e satisfeito ao adquirir o que eu tenho para vender?

A personalização é uma ferramenta essencial no momento de qualificar as necessidades dos seus clientes, pois além de ajudá-lo, ela faz o seu público se destacar.

Afinal, como no filme, assistir o filme antes do que a grande maioria pode ser prazeroso para alguns, mas no caso do seu produto, o que fará seu público lotar a sua bilheteria?

Pense nisso!

Escolha uma boa comunicação

Resultado de imagem para vingadores guerra infinita cena triste

Esteja onde seu cliente está.

Já ouviu essa frase?

Ela tem poder.

O time de vendedores responsável pelas prévias das vendas deve mapear onde o público está e dialogar com ele.

Essa é, inclusive, uma metodologia muito comum nas vendas dos últimos anos.

Pois procurar onde vive e o que faz o seu público ideal é uma maneira de indicar que seu produto ou serviço terá uma potencial demanda de captação.

Comunicar-se principalmente com as pessoas que tomam as decisões de aquisição, é uma boa maneira de iniciar seu processo de pré-venda.

Lembre-se: gaste seu tempo com quem realmente vai comprar de você ou tem poder para isso.

Condições especiais

Resultado de imagem para vingadores guerra infinita escudo

O cliente que compra antecipadamente com você, merece ser premiado, não acha?

Ofereça, então, condições especiais.

Desconto no preço à vista, oportunidade de brindes, formas de pagamento mais flexíveis.

Mas lembre-se que é muito importante que as condições especiais que você oferecer estejam associadas a uma experiência.

E experiências quando são boas, são lembradas tempos e tempos depois.

Outra dica: caprichar no modo como você constrói a experiência é tão importante quanto a materialização dela.

É só pensar na seguinte situação exemplo:

uma empresa patrocinadora de um evento de corrida chamada “Flash” está em dúvida entre dois brindes para os clientes que fizerem a pré-inscrição da corrida:

  • Brinde um: chaveiro
  • Brinde dois: bracelete para celular

Qual você acha que é o brinde que essa empresa dará aos corredores que fizerem a pré-inscrição?

Se você respondeu o bracelete para celular, acertou.

Pois se trata de um item coerente com o universo de corrida das pessoas que se inscreverem.

Com um bracelete para celular, o corredor poderá inclusive participar de outras corridas.

Além de equipar seu cotidiano nas pistas, levando seu smartphone para ouvir uma música, medir a quilometragem, o número de calorias perdidas.

Tudo isso sem atrapalhar o exercício.

Lembre-se, experiência na pré-venda é fundamental.

Sucesso e ótimas vendas,

Leia Mais

8 dicas de vendas + truques eficazes para vender mais

dicas de vendas

Fazer parte do mundo das vendas requer atributos que vão muito além do conhecimento técnico, sobre um produto ou serviço. Habilidades como a comunicação, persuasão e inteligência emocional e características como coragem e ousadia agregam muito valor ao profissional de vendas.

Por isso, quando alguém decide se arriscar nesse universo e fazer carreira, é normal que surgirem diversos questionamentos:

  • Será que serei um bom vendedor?
  • Será que vou conseguir me destacar em vendas?
  • Será que consigo ganhar dinheiro pra valer com isso?

A boa notícia é que para todas as perguntas a resposta pode ser positiva! Mas para isso, além da prática, é preciso empenho para desenvolver as habilidades, disposição para aprender todos os truques para ser um bom vendedor e também foco para atingir uma boa performance e é claro, mantê-la.

E se você quer saber como se desenvolver nestas questões você está no lugar certo! Neste post vamos falar sobre as dicas de vendas mais eficazes, sobre quais os truques para ser um bom vendedor e também dar dicas para quem está começando na área de vendas.

Mas antes de começar a falar das dicas de como vender mais, que tal falarmos um pouco sobre o segmento de vendas, um ponto super importante para um representante comercial iniciante.

O que o mercado diz sobre o setor de vendas?

Antes de conferir as dicas de vendas, você já se informou sobre a dinâmica do mercado em vendas, no Brasil? Sabe o que alguns indicadores e dados dizem sobre isso?

Vou ajudar com isso! Separei algumas das informações que tem relação direta com o setor de vendas ou que se associam a esse universo e que impactam de alguma maneira o seu trabalho de vendedor. Confira:

 

  • Vendas do comércio varejistas avançaram pelo décimo mês consecutivo ao registrar uma alta de 1,3% em fevereiro na comparação com o mesmo período do ano passado.
  • O setor já acumula alta de 2,3% neste ano de 2018. As informações são do Portal Brasil
  • Especialmente o setor de serviços abriu vaga no mês de fevereiro de 2018. O portal oficial do Governo brasileiro informa que “foram abertas 65,9 mil vagas em todo o País, sendo 46 mil empregos gerados exclusivamente pelos pequenos negócios”.
  • Segundo informações do setor de economia e emprego do Portal do Brasil, “dados com abrangência nacional da Boa Vista Serviço Central de Proteção ao Crédito (SCPC) mostram que o número de pedidos de falência de empresas caiu 22,6% no primeiro trimestre deste ano na comparação ao mesmo período do ano passado”.
  • Sobre equipamentos de informática e comunicação, houve crescimento de 5,8% em fevereiro, comparado ao mesmo período no mês passado, segundo pesquisa do IBGE, divulgada em 12 de abril.

 

Agora sim! Confira de forma muito prática 8 dicas de vendas assertivas para começar com o pé direito… e com o esquerdo também, no setor e fazer a diferença.

Dicas de vendas: as 8 essenciais

1 – Não dê desconto à toa

Digo e repito, dar desconto é pecado!

Sabemos que o mercado já está viciado nesta prática e que os clientes de certa forma já esperam por isso! Mas aqui a dica de venda é: você deve se lembrar que seus produtos ou serviço possui um diferencial em relação a concorrência e justamente por isso não tem o porque dar desconto, uma vez que quem se destaca nas vendas pode cobrar mais mesmo.

Você que está começando deve ter em mente o desconto infelizmente é uma opção para vendedores que não sabem negociar ou que ainda estão despreparados.

Confira o vídeo completo que fiz sobre este assunto:

2 – Saiba se o cliente tem dinheiro

Como saber afinal se o cliente tem realmente recursos para fechar negócio com você? Neste caso a dica de venda é simples: faça três perguntas:

  • Você já tem orçamento para a compra? Assim, você já sabe se cliente está planejado para adquirir o produto.
  • Você já investe em algum produto similar a esse? Aqui você saberá se ele já adquiriu algo parecido, então tem perfil para adquirir novamente.
  • Peça para o cliente dar uma nota de 0 a 10 para a possibilidade de investir. Se a nota for 2, já sabe que ele não está muito disposto, se for mais que 7, prepare-se, ele quer realmente comprar.

Quer saber mais sobre esta dica de venda e entender se o seu cliente tem dinheiro para comprar? Assista o vídeo que fiz sobre o assunto.

3 – Tenha tesão pelo que vende

Se você não tem tesão pelo que vende imagine quem está comprando não é mesmo?

Por isso a dica de venda aqui é: você tem que se envolver com o que vende, porque se isso não acontecer, tenha certeza que o cliente vai perceber o seu desinteresse pelo produto ou serviço que está oferecendo.

Então meu amigo, não deixe que o entusiasmo do cliente seja maior que o seu no momento da compra.

Confira mais detalhes sobre este tema no vídeo abaixo:

4 – Preste atenção no que o cliente fala

Lembre-se de que os compradores vão escolher os melhores, por isso eles precisam entender como você pode ajudar ele e o porquê você é a melhor opção!

Por isso a dica de venda é: preste muita atenção no que o cliente fala para entender suas reais necessidades e desejos para oferecer o produto ou serviço mais adequado.

Confira abaixo a dica de venda sobre 7 Verdades para Negociar Melhor e que Quase Ninguém Fala que certamente vai te ajudar nesta fase da negociação.

5 – Contorne objeções e faça o cliente se apaixonar

O cliente gostou do produto, mas está indeciso. Para este caso, a dica de como vender é: você deve utilizar a regra do controle e da objeção, ou seja, devolva o questionamento do cliente sempre com uma pergunta.

Quando o cliente diz: “Não tenho dinheiro para comprar”, responda “Quanto você está disposto a investir”.

Além disso, lembre-se que ninguém vende aquilo que não compra, por isso, alinhe-se com o que você vende e faça o cliente se apaixonar da mesma forma que você acredita no que vende.

Confira abaixo a dica de venda de como fazer seu cliente comprar mais quando ele está indeciso?

6 – Não tenha medo

Esta é uma dica de outro para representantes comerciais iniciantes!

Ao se deparar com os clientes que são exigentes e querem saber o máximo de informações técnicas, não tenha medo.

Aprofunde seus conhecimentos no produto, estude e esteja pronto a tirar as dúvidas de quem está interessado em comprar.

Saiba mais sobre esta dica de venda no vídeo Vendedor Medroso Não Oferece!

7 – Escreva bem um e-mail

“Noz da empreza X queremos faser uma proposta de orssamento a vose”.

Já imaginou seu cliente lendo uma mensagem assim? Bom, depois disso já deve imaginar que qualquer possibilidade de negócio estará cancelada, certo?

Por isso, além de escrever bem uma mensagem, ou seja, sem erros ortográficos, pesquise e utilize palavras-chave que prendem a atenção do cliente na leitura.

Veja o vídeo abaixo sobre como escrever um e-mail para vender mais?

8 -Ahh, você só está aqui para pegar o meu dinheiro

Neste caso, a dica de venda é: deixe claro seu propósito, destaque seus diferenciais, a segurança e qualidade em comprar com você.

Você deve ter em mente que o intuito das vendas não é pegar dinheiro do cliente, e sim ganhar junto com o cliente! Como já dizia Raul Candeloro, “a missão de um vendedor profissional é ajudar o cliente, sim. Mas com lucro para empresa e para ele, afinal uma venda não é uma negociação onde apenas um sai levando vantagem.”

Lembre-se de que uma venda é o encontro de interesses, onde vendedor e cliente saem ganhando.

Quer saber mais sobre como se comportar quando o cliente diz que você só quer o dinheiro dele? Assista o vídeo abaixo.

Quer saber mais sobre estratégias e dicas de vendas? Meu nome é Thiago Concer o treinador de equipes comerciais mais contratado do Brasil, sócio- fundador do Instituto de Especialização de Vendas e líder do movimento #OSV – Orgulho de ser vendedor.

Acesse minha página de produtos de serviços e conheça as diferentes formas de se aprofundar no assunto e se tornar um expert em vendas, como por exemplo o treinamento online Vendas não ocorrem por acaso, escrito para profissionais ambiciosos e determinados que querem descobrir como efetuar uma venda de sucesso.

Imagens: Reprodução

banner ebook

 

Leia Mais

Como fazer o cliente comprar e amar o que você vende com 5 dicas infalíveis

Como fazer o cliente comprar

Você já se perguntou como fazer o cliente comprar o seu produto e, melhor ainda, continuar comprando? Eu sempre digo que há uma grande diferença entre vender um produto ou serviço  e vender uma experiência com a qual o cliente se identifica. Dessa maneira, é essa diferença que vai despertar a empatia e a expectativa do seu público. 

Leia Mais

Vendas Diretas, Marketing Multinível e Pirâmide: saiba a diferença e pare de falar besteira

Tem muito vendedor ainda confundindo o que é venda direta e o que é marketing multinível e pirâmide.

Mas com certeza, isso deve ser um problema bem mais de conceito, porque todo mundo na vida, ao menos, uma vez, já presenciou essas formas de vender.

Mas vamos descomplicar.

Vendas Diretas

De acordo com a Associação Brasileira de Vendas Diretas, a ABEVD,  “a venda direta é um sistema de comercialização de bens de consumo e serviços baseado no contato pessoal entre vendedores e compradores, fora de um estabelecimento comercial fixo”.

Essas informações foram retiradas do próprio site da associação.

Elas indicam que é um tipo de venda olho a olho, não necessariamente dentro de uma loja ou empresa.

A associação ainda informa que, no Brasil, o mercado de vendas diretas é poderoso e famoso.

Temos  4,3 milhões de pessoas em sua força de vendas, gerando aproximadamente cerca de 8 mil empregos diretos.

É gente para caramba trabalhando nisso.

Ranking top

Há uns 5 anos atrás, no ano de 2013, a ABEVD ainda divulgou que as vendas diretas atingiram  US$ 14,6 bilhões em volume de negócios.

E isso deu ao nosso país a quarta posição no ranking da World Federation of Direct Selling Associations (WFDSA).

Olha aí, as vendas verde e amarelas dominando o mundo.

Ficamos atrás apenas dos Estados Unidos, Japão e China.

Se você quer dados mais recentes, a ABVED ainda publicou que no primeiro semestre de 2017 – nem faz muito tempo hein – as vendas diretas movimentaram mais de 20 bilhões nesse período.

É um setor importante, vendedor, que só reforça o quanto vendas é um dos motores da nossa economia.

Marketing multinível

Já o marketing multinível é uma modalidade de vendas diretas.

Mas enquanto na VD o revendedor obtém os lucros em cima de suas próprias vendas, no marketing multinível o revendedor ganha participação dentro de um grupo.

Ou seja, não só no que ele vende, mas também em cima do que sua rede de revendedores vende.

Ela também se baseia no contato pessoal entre vendedor e cliente, sem precisar de uma loja ou empresa física para a venda acontecer.

Mas esse tipo de venda se preocupa em vender, atraindo para perto não só consumidores, mas outros vendedores também.

Isso a difere das vendas diretas.

O trabalho é maior, porque exige que você monte uma equipe de vendas.

E que se preocupe até mesmo com hierarquias que geralmente nas vendas diretas não tem obrigatoriamente.

Pirâmide

Essa forma de vender é um problema grande, vendedor, considerado em muitos países uma negociação ilegal.

Por isso, cuidado.

Na pirâmide os lucros ficam geralmente entre os idealizadores do negócio e não são distribuídos de maneira igualitária.

Promete-se muito dinheiro em troca do recrutamento de pessoas ou da venda de produtos ou serviços, mas esses produtos não existem muitas vezes.

Há ausência de produto físico.

Funciona assim: o indivíduo investe um único pagamento, com a promessa de que irá receber benefícios de outras pessoas, mas a continuidade do processo não acontece.

Segundo a ABEVD “a pirâmide também se caracteriza pela falta de treinamento para vendedores e ausência de continuidade nos processos”

A associação ainda divulga que “ao contrário da venda direta legítima, quando há pagamento de impostos e a recompensa é proporcional ao esforço de cada um, na pirâmide ganha mais quem está no topo da hierarquia”.

Ou seja, o dinheiro percorre a pirâmide, mas apenas os que estão no topo ganham. Claramente, um método desigual.

No Brasil,  a pirâmide é enquadrada como um crime à economia popular, descrito no inciso IX, art. 2º, da Lei 1.521/51. Fuja dessa e fique atento.

Muitas vezes, a pirâmide pode vir disfarçada de marketing multinível, por isso, cabe sempre averiguar e fazer pesquisas sobre o negócio antes de mergulhar de cabeça nele.

Vantagens e Desvantagens

As vendas diretas se destacam em diferentes produtos ou serviços.

  • Tem maquiagem
  • Tem comida fitness,
  • Tem álbum de formatura
  • Tem plano de saúde e um monte de outros produtos e serviços.

Tem também uma grande vantagem para os vendedores: eles podem definir seus horários e atender aos clientes nas ocasiões mais convenientes.

Além disso, o consumidor sai ganhando, pode ser atendido inclusive dentro da sua própria casa, sem abrir mão do conforto e sem precisar comprometer outras tarefas.

É também uma alternativa de emprego quando há renda disponível rolando na economia.

Isso faz com que as pessoas escolham comprar e consumir produtos de uma forma mais personalizada.

Segundo a ABEVD, as modalidades mais praticadas de venda direta são:

  • “Door to door” ou porta-a-porta: o revendedor vai até a residência ou local de trabalho do consumidor para demonstrar e vender os produtos;
  • Catálogo: o revendedor deixa o catálogo ou folheto na residência do consumidor e depois passa para retirar o pedido;
  • Party plan: o revendedor promove um chá na casa de uma consumidora para ela e suas amigas, em que demonstra e revende os produtos.

Nas Vendas Diretas geralmente o revendedor compra o produto e revende com um lucro de aproximadamente 30%.

Já no Marketing Multinível, o investimento inicial pode ser caro, além de demandar um trabalho maior pela criação de redes de vendedores.

Mas há um modelo escalonável de ganhos que aumenta os seus lucros.

Além de ser um modo de trabalho que se baseia na equivalência entre ganho e produtividade: ou seja, você ganha pelo seu esforço empregado.

No caso, da pirâmide não se considera vantagens, visto que é um crime enquadrado pela lei brasileira. Fique de olho sempre, vendedor.

E aí, esclareceu suas dúvidas?

Tá pronto para arrebentar de vender na sua modalidade sem falar besteira?

Continue sempre acompanhando conteúdo por aqui.

Abraço e ótimas vendas

Leia Mais