Despedida de Júlio César: 3 momentos entre o jogador e você vendedor

No último sábado, 21 de abril, o jogador Júlio César se despediu dos campos.

Junto com uma vitória sobre o América-Mg pelo Flamengo, no Maracanã, Júlio fez uma boa partida pelo time rubro negro e foi homenageado pela torcida ao final.

O momento de sua aposentadoria realmente chegou e ocupa espaço ao lado de uma coleção de vitórias que o jogador acumulou ao longo de mais de 20 anos de carreira, defendendo times e fazendo das partidas suas melhores chances.

O sucesso de Júlio nos gramados não é de hoje, mas chegou o momento de parar.

Carreira de jogador, carreira de vendedor

A carreira do goleiro acumulou derrotas e vitórias.

Assim como quem viu Júlio defender o Flamengo contra o Vasco na final do Campeonato Carioca em 2001, viu o goleiro levar 7 gols dos alemães no jogo histórico do Brasil, na copa de 2014.

A carreira do jogador, assim como a de vendedor também é marcada por momentos de glória, e de aprendizado.

E as ruas para um vendedor talvez seja como um gramado para um jogador:

o terreno das oportunidades.

Por isso, separei 3 MOMENTOS em que o vendedor sentiu na pele, assim como o jogador, as emoções da profissão.

Profissão que – para os dois – é desafiadora, imprevisível, mas também muito gratificante. Confira:

1. Contornar o “não” pesado e direto só depende de você

Contornar objeções faz parte da carreira de qualquer vendedor.

E já tiveram aqui no blog, dicas bem objetivas sobre isso. Veja aqui.

Mas tem algumas situações, em especial, que contornar aquela venda depende só de você.

Apesar de representar uma equipe, a ação vem de você.

Por isso, entre as recomendações de como contornar, por exemplo, aquele “não” irredutível do seu cliente, estão:

A) Responda o cliente com outra pergunta. Sempre falo que quando o seu cliente disser: “hoje não vou comprar”, que tal contornar a situação e responder ” quais seriam, então, as condições ideais para te fazer comprar?”. Lembre disso!

B) Mostre confiança e conhecimento. Nada de tropeçar nas palavas ou não saber responder a dúvida do cliente quando ela acompanha aquele “não”. Esteja preparado, estude e saiba tudo sobre seu serviço ou produto.

C) Encare o cliente, sem confrontá-lo.  Não é o momento de provocar o cliente quando está frente a frente com aquela venda potencial. Encare, olhe fixo, preste atenção, mas não provoque, nem o deixe desconfortável.

Pense que lidar com esse momento decisivo em que o cliente diz NÃO QUERO COMPRAR, é como ter que se defender de um chute forte, rasteiro e que mudaria os rumos da partida venda, mais ou menos assim:

Veja só:

Quando você consegue segurar nas mãos a decisão do cliente, ai sim, você poderá celebrar.

2. Equipe às vezes não está em sintonia

Já pensou que uma venda também pode ser resultado de um trabalho em equipe.

Mas e quando você pede ajuda e não recebe retorno positivo?

Ou quando está com dúvida e poucos te ouvem na sua negociação?

Isso pode acontecer, ainda mais quando a equipe está desorientada e desmotivada, por isso:

A) Participe das dinâmicas de equipe quando tiver. É um ótimo momento para você, vendedor, se aproximar dos seus colegas e perceber as fraquezas e pontos fortes deles.

Assim além de ajudá-los, poderá receber ajuda e aquela forcinha na hora de emplacar aquela venda.

B) Conheça as funções de todo mundo. Procure sempre estar por dentro de quem faz o que dentro da equipe de vendas. Normalmente, um cliente faz perguntas e nem todas competem ao seu setor.

Saber exatamente para quem encaminhar a dúvida do consumidor, é um ponto chave para economizar tempo, ajudar a fechar a venda e deixar o cliente satisfeito, sem perder tempo procurando respostas com qualquer um.

Quando a equipe não está em sintonia, olha só no que dá:

3. A venda pode acontecer de repente

Se eu pegar um lápis agora e pedir a você: “VENDA-ME ESTE LÁPIS”, como irá reagir?

Faça o teste, mas lembre-se que quando algo inesperado ocorre durante uma negociação rumo ao fechamento, você deve ser ágil, por isso:

A) Tenha sempre uma estratégia chave guardada com você, que fuja dos clichês, mas que funcione bem. Por exemplo, na pergunta que fiz, foque menos em dizer que o lápis tem um preço ótimo ou que está na promoção. Preocupe-se com o que faz o seu lápis ser o melhor, que materiais fazem dele exclusivo. Que tal?

Assim como você não espera que certos ataques possam acontecer em uma venda, seu cliente aguarda como você reage aos desafios inesperados. Veja um exemplo de “pensou, faz”:

 

Sucesso e ótimas vendas!

Imagens e vídeos: Reprodução