Fala, monstrão, fala, monstrona! Tudo bem com vocês? No artigo de hoje vou falar sobre um assunto muito importante para qualquer tipo de negócio: como precificar um produto. Muita gente me pergunta quais são os critérios e qual é a forma mais segura de precificar suas soluções. Então, bora juntos!

Essa dúvida é mais comum do que se pensa e muito importante para a saúde e o lucro do seu negócio. Antes de definir o preço de suas mercadorias e serviços, é necessário analisar o valor médio do que você comercializa no mercado, o perfil dos seus consumidores e o número de concorrentes no bairro, por exemplo. 

Dados como esses servem para que os preços do seu produto ou serviço não fiquem acima ou abaixo da média e, com isso, você consiga atender melhor a freguesia e evitar perder clientes. Outro ponto importante de como precificar um produto é calcular o valor de suas soluções sem esquecer das despesas e lucros que você terá com a empresa, fornecedores e loja física.

Quer aprender como colocar preço no produto antes da venda? Vamos estudar juntos.

Como precificar um produto na prática?

Saiba quando o produto custa para você

O primeiro passo é saber quanto ele custa para você. Esse produto ou serviço foi comprado por um valor e por isso, te custou alguma coisa. Entenda que a mercadoria não pode ser vendida pelo mesmo preço porque, dessa forma, você não lucrará nada com a venda. Além de perder tempo, você pode, também, perder dinheiro.

Se ao adquirir um produto você pagou X, é necessário somar ao valor do produto o quanto de lucro deseja obter com a revenda. Além do ganho, é muito importante considerar quanto foi gasto durante todo o ciclo de aquisição e venda.

Transporte, locação de imóveis, tempo de trabalho, salário de funcionários. Tudo envolve custo e está diretamente ligado ao valor final do seu produto ou serviço. Quer um exemplo? Veja só:

Supondo que você foi até o centro da cidade e comprou 10 pares de tênis, para revender no seu comércio, em um bairro mais afastado. Cada par de tênis custou R$ 150 e, por isso, o total da compra equivale a R$ 1.500.

Porém, os gastos com as viagens de ida e volta somam mais R$ 80 por deslocamento. Ao todo você tirou do seu bolso R$ 1.660.

Para compensar todo o gasto que você teve, o mais lógico seria vender cada par de tênis por  R$ 166. Mas, não podemos esquecer do lucro. Considerando que a porcentagem escolhida corresponda a 40% sobre o valor dito acima, como contabilizar?

Se cada par de tênis custou R$ 150 e você quer lucrar 40% sobre esse valor, o produto  teria que ser vendido com um acréscimo de R$ 60. Somando esse valor com o das despesas, cada par deverá ser vendido por R$ 226.

Caso todos os calçados sejam vendidos, a sua receita será de R$ 2.260, o que corresponde a R$ 600 de lucro total.

Esse foi apenas um exemplo simples de custo versus lucro. Certamente, haverá outros  custos relacionados à locação do imóvel, salário de funcionários, contas de luz, dentre outras. Mas todos esses gastos precisam ser calculados e divididos pela quantidade de produtos ou serviços comercializados.

A partir dessa conta, você saberá como precificar um produto para disponibilizar ao cliente.

Leve em conta a jornada de compra dos seus clientes

Quem quer saber como colocar preço em um produto precisa considerar também a jornada de compra dos seus clientes.

Pense nos consumidores que gostam de receber suas compras em pouco tempo ou, até mesmo, à pronta entrega. Isso significa que você precisará ter o produto em seu estoque. Dica de ouro: quanto maior seu estoque, mais caro será o produto.

Lembre-se, também, dos clientes que gostam de itens personalizados. Isso aumenta os gastos com a produção e até mesmo o tempo de preparo do produto. Esse gasto, logicamente, deve ser adicionado ao valor final do produto.

Conheça o seu público consumidor e, mesmo que tenha o preço maior que o da concorrência, seu comércio terá um diferencial que é a fidelização dos clientes. Quer saber mais sobre esse assunto? 

  • Leia também: como criar personas. 

Seu concorrente tem o preço inferior ao seu? Não se preocupe, afinal, a maioria das pessoas não costuma abrir mão da qualidade por causa do preço! Assista ao vídeo abaixo e não tenha medo de defender o seu valor.

Considere as vantagens versus benefícios

Se, por acaso, você e seu concorrente venderem produtos específicos pelo mesmo valor, pense no seguinte ponto: vantagem e benefício. Prepare sua equipe de vendas, convença o cliente de que seu produto é melhor que o do concorrente e garanta o sucesso do negócio.

Disponha ao cliente formas mais atrativas de pagamento ou situações que beneficiem-no para a finalização da compra. Lembre-se, o cliente sempre deseja sair ganhando, independentemente da situação!

Supondo que você venda um produto com garantia de três meses, da mesma forma que seu concorrente, aumente a garantia para seis meses. Além de destacar o produto, a sua vantagem servirá de benefício para o cliente.

Contudo, nem toda vantagem é sinônimo de benefício! Imagine vender um brinquedo feito com as melhores peças e oferecer uma garantia de 50 anos. É uma vantagem desnecessária, que não tem benefício, afinal as chances de uso do mesmo brinquedo por meio século é muito baixa.

Porém, dependendo da vantagem que atrelar ao seu produto ela pode, sim, ser um fator positivo, mesmo que o preço seja maior que o da concorrência.

Por isso, é importante avaliar todas as variáveis e acima de tudo, conhecer o público consumidor. Assim, você saberá como precificar um produto, além de oferecer a melhor solução, com as melhores vantagens realmente úteis e benefícios inteligentes.

A partir do momento em que você souber como colocar preço no produto, use as redes sociais para alavancar suas vendas. Cadastre, agora mesmo, um perfil da sua empresa no Facebook, Instagram, YouTube e LinkedIn e aproveite as vantagens da venda online.

Agora que você já sabe como precificar um produto, adquira o meu livro e deixe de ser refém das circunstâncias. Entenda que as vendas não acontecem por acaso, siga minhas dicas e aumente seu faturamento.