Você é um vendedor Pessoa Jurídica (PJ), Pessoa Física ou trabalha como representante para várias empresas? Atua como profissional autônomo?

Engana-se quem pensa que vendedores autônomos estão isentos de cumprir determinadas obrigações contábeis e tributárias.

Aqueles que comercializam mercadorias como pessoa física, prestando esse serviço de intermediação comercial, por exemplo, também estão sujeitos a pagar impostos e prestar contas ao Fisco sobre suas atividades econômicas.

Se esse é o seu caso, te convidamos a continuar a leitura deste artigo para esclarecer as suas dúvidas sobre contabilidade para vendedores autônomos.

Nas próximas linhas, você vai conferir algumas dicas fundamentais para se manter em dia com a Receita Federal e não ter dores de cabeça para justificar seus rendimentos profissionais:

  1. Mantenha o livro caixa sempre atualizado;
  2. Pague o seu carnê leão sempre em dia;
  3. Atente-se à emissão e à gestão de notas fiscais.

Leia também: MEI para vendedor: descubra se isso é possível e confira um passo a passo para se formalizar nesse regime

O que é contabilidade para vendedores?

A contabilidade para vendedores se refere a um conjunto de atividades com o objetivo de regularizar todas as movimentações financeiras desse profissional autônomo e garantir que todos os tributos referentes a suas atividades sejam pagos em dia e corretamente, evitando pagamentos acima do que a lei exige ou que ele seja multado por ter pago menos.

Além disso, a contabilidade para vendedores que trabalham por conta própria como pessoa física (ou seja, sem vínculo empregatício conforme a CLT) busca manter atualizados todos os registros de entradas e saídas do caixa, o balanço patrimonial e o envio de declarações dentro do prazo estipulado pela Receita Federal.

3 dicas de como fazer contabilidade para vendedores

As obrigações fiscais e de contabilidade não são exclusivas apenas das pessoas jurídicas. Profissionais que trabalham com vendas de maneira autônoma como pessoa física também precisam se atentar à gestão contábil.

Sem o devido controle dos tributos que precisam ser pagos e de outras obrigações fiscais, o vendedor estará sujeito ao pagamento de multas pesadas e outras penalidades mais graves.

Para te ajudar a evitar que isso aconteça, separamos aqui 3 dicas fundamentais para uma boa contabilidade para vendedores.

1 – Mantenha o livro caixa sempre atualizado

O livro caixa é onde o vendedor autônomo vai fazer o registro de todas as suas receitas e despesas referentes a sua atividade econômica.

O programa para fazer os lançamentos é disponibilizado pela Receita Federal. Os ganhos e as despesas devem ser inseridos de forma cronológica.

Mesmo nos meses em que o faturamento do vendedor for nulo, ele deverá sinalizar no sistema do livro caixa que os ganhos foram nulos no mês em questão.

Anotar todos os valores das vendas e também todas as despesas é importante na hora de calcular o valor correto do imposto de renda que deverá ser recolhido mensalmente pelo carnê leão.

A omissão de ganhos no livro caixa pode ser considerada como sonegação de impostos. Ao fazer o cruzamento de dados, a Receita Federal pode detectar certas divergências e autuar o vendedor autônomo com multas e outras penalidades.

Caso você tenha esquecido de lançar algum rendimento, basta lançá-lo corretamente no programa e gerar uma guia do Documento de Arrecadação da Receita Federal (DARF) para quitar os impostos devidos.

2 – Pague o seu carnê leão sempre em dia

O carnê leão serve para fazer o recolhimento mensal obrigatório referente aos ganhos das suas vendas enquanto vendedor autônomo. E você não pode fugir dele!

Nesta dica de contabilidade para vendedores, é imprescindível que você se mantenha sempre em dia com os pagamentos de cada parcela do carnê leão.

Essa é uma obrigatoriedade prevista no Decreto-lei nº 1.705, de 23 de outubro de 1979. Todas as pessoas físicas que tiverem ganhos mensais superiores a R$ 1.903,98 precisam pagar o imposto de renda todos os meses pelo carnê leão.

Por isso, não deixe de fazer esses pagamentos e evite complicações futuras para você!

3 – Atente-se à emissão e à gestão de notas fiscais

Se você trabalha como vendedor autônomo e não abriu uma empresa, saiba que mesmo atuando como pessoa física você pode fazer a emissão de notas fiscais para os seus clientes.

Emitir notas fiscais traz mais credibilidade para sua atuação comercial, além de ser um documento comprobatório de que houve uma troca comercial entre você e seu cliente, mesmo que seja uma prestação de serviços.

Nesse caso, o tipo mais adequado é a Nota Fiscal Avulsa eletrônica (NFA-e). A emissão desse documento é gratuita e não obrigatória para pessoas físicas. No entanto, apesar de facultativa, a nota fiscal pode te ajudar a conseguir mais clientes.

Em cada NFA-e você poderá registrar a compra de até 10 itens. Se alguma informação for inserida incorretamente, não será possível corrigi-la; você deverá cancelar a nota em questão e emitir uma nova.

Cada estado tem suas regras para emissão da NFA-e. Por isso, procure a Secretaria de Fazenda da sua Unidade Federativa para saber como você pode se habilitar para emitir as notas fiscais avulsas para os seus clientes.

Bom, ficou claro como funciona a contabilidade para vendedores autônomos? Siga as dicas que citamos aqui e não deixe de contar com a ajuda de um contador profissional para te orientar na gestão contábil e fiscal.

Aproveite que está por aqui e veja estas dicas de como vender mais rapidamente:

 

* Este post foi escrito pela equipe do Qipu uma solução de contabilidade online usada por mais de 400 mil empreendedores.